Sonho Meu

Novembro 12 2004


Naquela tarde,
Cinzenta e escura,
Fria e triste,
Chegaste tu!

Chegas sem avisar,
Nem a porta bates,
Nem licença pedes para entrar!
Entras e realizas a tua fantasia!

Para uns tornas te alívio,
Para outros apenas és dor!
Outros de ti apenas medo têm,
E ainda outros para ti correm!

Levas o jovem e a senhora
Levas o idoso e o quarentão!
Reduzes as nossas famílias!
Aumentando a nossa dor!

Ó tu que esvazias os lares,
Tu que aumentas o nosso desgosto
Surges a toda a gente sem excepção!
Tu que te chamas morte!

Os meus leitores que não pensem nada de mal acerca da minha pessoa este poema já tem uns anos e escrevi o quando estava mal na vida! Hoje estou assim :)
publicado por Bruno Rodrigues às 22:01

Novembro 12 2004
Vem a tia, e a história mudou!
Vem o amigo e a história ouve,
Vem o primo e logo soube!

Ela disse que o beijou,
Ele disse que nem a olhou!
Mas a prima disse que o amor já acabou!

Todos parecem saber,
Todos parecem dizer,
Que mentir lhes dá prazer!

Quer esteja sol, quer esteja a chover!
A história anda sempre moer,
Lá nas festas de São João do Ver
publicado por Bruno Rodrigues às 19:36

" O diário de uma Vida! "
mais sobre mim
Novembro 2004
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10

14
15
17
19

21
22
23
24
25
26

28


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO